7 Cantos do Mundo

Budapeste: quanto vou gastar por dia?

Estimar os custos de uma viagem é sempre uma tarefa difícil. A gente nunca esteve no lugar, obviamente, então não faz ideia de qual o preço médio das coisas. A brincadeira fica ainda mais complicada quando o país tem uma moeda bem diferente da nossa – como é o caso da Hungria.

Podia ser fácil que nem a Dinamarca, que tem a moeda “1 pra 2” (R$ 1,00 ≅ 2,00 kr). Mas no caso de Budapeste, é uma conta BEM quebrada! Aí junta com a falta de noção dos preços, e vira tudo uma salada e você já não entende mais nada!

Você vê qualquer coisinha na casa dos mil dinheiros e fala “meu deus, que caro!”. Mas palma, palma, palma, não priemos cânico! A capital húngara não é um destino caro, de um modo geral. E olha só que sorte a sua: eu já fui lá conferir e estou aqui para te contar quanto custa passar um dia em Budapeste!

Vamos lá? 🙂

Notas mentais:
  • Moeda da Hungria: Florim Húngaro (Forint, em húngaro, ou ft)
  • Câmbio: € 1  ≅ 312 ft | R$ 1,00 ≅ 92,93 ft (março de 2017)
  • Período de referência dos preços: março de 2017
  • Perfil dos viajantes: eu, mão de vaca; ele, tranquilão. Combinando os dois, temos um perfil equilibrado de gastos, tendendo ao econômico
  • Todos os valores aqui mostrados são para 2 pessoas
  • Veja qual a melhor solução para o seu dinheiro em uma viagem internacional

Acomodação

Buscamos uma hospedagem com quarto privativo, e acabamos encontrando uma boa oportunidade no Full Moon Design Hostel (fiz um review sobre ele, veja aqui). O valor da diária (com taxas) foi 11.548 ft para o casal, com café da manhã incluído. Ficamos 3 noites.

Full Moon Design Hostel

Se você gostar de mais luxo e conforto e pensar em ficar em um hotel mais bacaninha, suba este valor; se for mais roots e preferir ficar em quarto coletivo, bote pra baixo.

Total acomodação: 34.646 ft | € 111 | R$ 375

Aproveita e pesquisa aqui sua hospedagem em Budapeste

Transporte

Este foi o custo mais tranquilo da viagem. O transporte público é bom e barato, inclusivo para ir para/do aeroporto (que costuma ser mais caro em outros lugares). E nós não temos preguiça e andamos a cidade toda a pé mesmo, achei super tranquilo. Acabamos nos locomovendo de metrô em um momento apenas, pois estava caindo um senhor pé d’água!

Só não aconselho pegar taxi (eu nunca aconselho, na verdade). Pegamos por um trecho curto, só porque estava tarde, chovendo e frio após termos ficado 3 horas cozinhando que nem galinha na canja nas Termas Széchenyi, mas achei BEM caro para andar só 10 minutos 🙁

  • Ônibus do aeroporto ao hostel: 700 ft
  • Metrô do centro às Termas Széchenyi: 700 ft
  • Taxi das Termas Széchenyi ao hostel: 3700 ft
  • Transporte para o aeroporto: 700 ft
Total transporte: 5.800 ft | € 19 | R$ 63

As moedas não valem praticamente nada

Alimentação

Sem dúvida, é aqui que vai a maior parte da grana. Sempre, né? Claro que sempre dá pra economizar, comprando lanchinhos no mercado, cozinhando no hostel (se possível)… mas, dois pontos: 1) nem sempre a gente tem tempo pra isso (em dois dias, se a gente ficasse cozinhando no hostel, não passeávamos, né? 😛 ); 2) nem sempre a gente quer isso!

A Hungria, fiquei sabendo antes de viajar lendo o blog da Lala Rebelo, tem uma excelente gastronomia. Bons de garfo que somos, não poderíamos deixar de provar. Aqui está tudo o que jacamos degustamos e seus respectivos valores:

  • McDonalds salvador da madrugada: 1070 ft
  • Lanche na Ilha Margaret (hot dog húngaro + sanduíche aberto na baguete): 1200 ft
  • Lángos (tipo uma esfiha do Habibs gigante, coberta com várias opções de coisas, mas basicamente queijo): 1000 ft
  • Kürtőskalács (pão doce gigante enrolado): 2000 ft
  • Coca-Cola quente (pode isso, produção?): 800 ft
  • Cerveja húngara muito boa no ruin pub Szimpla: 2650 ft
  • Jantar (frango com páprica e dumplings): 7775 ft
  • Almoço (sopa goulash de feijão): 5105 ft
  • Sorvete de flor (Gelato Rosa): 1300 ft
  • Jantar (uma mistureba húngara que não sei o nome): 6920 ft
  • Café de máquina: 150 ft
  • Burger King salvador e superfaturado no aeroporto: 3940 ft
Total alimentação: 33.910 ft | € 108 | R$ 367

Passeios

Turistar também sempre custa. Devido ao tempo curto, acabamos não entrando nos muitos museus, infelizmente. Acabamos conhecendo mais a cidade mesmo, e os edifícios por fora. Os únicos lugares que entramos, e pagamos para entrar, foram:

  • Casa do Terror (vale MUITO a pena!): 4000 ft
  • Termas Széchenyi: 10.200 ft

Não visitamos, mas caso interesse, pesquisei os valores de entrada nos outros principais museus da cidade:

  • Museu Nacional Húngaro: 1600 ft
  • Museu de História de Budapeste (no Castelo de Buda): 2000 ft
  • Galeria Nacional Húngara (no Castelo de Buda): 1800 ft

Total passeios: 14.200 ft | € 46 | R$ 154

SALDO FINAL

 Gasto total para 2 pessoas em 2,5 dias em Budapeste: 88.556 ft | € 284 | R$ 959

 Média diária por pessoa: 17.711 ft | € 57 | R$ 192

Incluindo, portanto, acomodação, transporte, alimentação e passeios. Espero que te ajude a planejar sua viagem! 🙂

Aproveita e salva este pin no seu Pinterest! 😉

 Data da trip: Março de 2017.

 Já segue o 7 Cantos do Mundo nas redes sociais?

instagram

 Comece a planejar sua viagem agora mesmo!

Reservando com os nossos parceiros, você não paga nada a mais por isso, e ajuda um pouquinho o blog 🙂

Temos parceiros para hospedagem, seguro viagem, aluguel de carro e agência de viagens, ecoturismo e bem estar, com roteiros prontos ou personalizados.

Veja AQUI.

 Achou este post bacana? Curta, comente, compartilhe!

Sobre a autora Ver todos os posts Site da autora

Laura Sette

Sou paulistana, bióloga, viciada em viagens, trilhas, livros e café, curiosa incansável e nerd assumida. Considero-me uma eterna aprendedora, e estou em constante busca da minha melhor versão. Acredito no poder transformador do autoconhecimento, e que, com amor e verdade, somos capazes sim de mudar o mundo! Moro atualmente na Dinamarca, como parte do grande plano de conhecer os 7 Cantos do Mundo.

Comente! :)

17 ComentáriosDeixe um comentário

  • Adoreiii seu Blog! Muito útil, eu faço bem o perfil “economico” de vocês hehe, mega me identifiquei.
    Vou à Budapeste no fim de setembro, meu namorado esta morando em Munique e vou visita-ló e claro aproveitar pra passear bem muitão hehe.
    Você saberia algum site que mostra as festas que acontecem no Termas Széchenyi, só vi algumas fotos,mas não acho o site que tem a agenda dos eventos.

    Obrigada por dividir as experiências com a gente!

  • Boa noite. Irei a Budapeste em março 2018, para comemorar meus 50 anos de idade. Estou preocupada com os preços, pois eu e meu esposo vamos passar por Roma 7 dias, Amsterdam 3 dias, Praga 4 dias e Budapeste 5 dias. Já estou com todos os hotéis reservados e todos com café da manhã incluindo. Mas tenho que me preocupar com almoço, janta, passeios e transportes, ônibus, metrô. ….. Mas não estou com tanto dinheiro assim. Posso passar aperto? O blog me afundou bastante. Tem mais alguma dica para me passar? Muito obrigada. Lena

    • Olá, Lena! Você está considerando que os valores que eu informei aqui neste post são para duas pessoas? Budapeste é uma cidade relativamente barata. Sobre passar aperto, como não conheço vocês (seu perfil de viajantes e seu orçamento), não consigo afirmar. O que posso afirmar: é um roteiro extenso, mas me parece que vocês já pagaram o mais caro (passagem e acomodação). Em alimentação, sempre dá para economizar. E nos passeios, idem (há muitas coisas gratuitas em todas essas cidades). Boa sorte! Abraço

  • Oi flor obrigada pela gentileza em responder, e tão rápido. Enfim será nossa primeira viagem internacional. Vou comemorar meu aniversário de 50 anos. Eu sou muito pé no chão, quando precisa, se necessário fico a base de sanduíches e compras em supermercado, para economizar. Quero curtir muito e pegar o prazer por viajar, pois sou muito caseira. Só saio do Rio de Janeiro, para visitar minha família em Brasília. Quero mudar isso. Conhecer outros lugares, afinal só se vive uma vez, né. Um abraço e mais uma vez obrigada…

    • Eu também sou super pé no chão, Lena! Até por isso escrevi esse post com os gastos hehe
      Que máximo que você está com esse comichão para viajar. As viagens transformaram a minha vida e me fizeram (fazem) evoluir como pessoa. Acho que é a coisa mais incrível em que alguém pode investir. Vá mesmo! De coração aberto! E aproveite cada segundo! Muita luz pra vocês!! Grande beijo

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *

Inline
Inline