7 Cantos do Mundo

Parque Nacional dos Lagos Plitvice: F.A.Q.

Parque Nacional dos Lagos Plitvice - Croácia - 7 Cantos do Mundo

Antes de ir ao Parque Nacional dos Lagos Plitvice, na Croácia, eu me deparei com um monte de dúvidas. Algumas, pesquisei e consegui a resposta; outras, aprendi na prática mesmo!

Criei, então, este FAQ (Frequently Asked Questions, ou Perguntas Frequentes). Espero que te ajude a planejar a sua viagem também, dando alguns atalhos! 🙂

ANTES DE IR

1. Por que eu deveria conhecer o Parque Nacional dos Lagos Plitvice?

Que tal este motivo?

Ou então este?

Cachoeiras encantadas? | Foto: Alexandre Magno

Ou ainda este aqui?

Foto: Alexandre Magno

E para finalizar o argumento:

Foto: Laura Sette

Convencido? Então bora planejar a viagem! 😉

PLANEJANDO A VISITA

2. Onde fica o Parque Plitvice?

Como todo lugar-lindo-de-morrer-em-meio-à-natureza, o Plitvice fica mais isolado da civilização. Ele fica mais ou menos no centro da Croácia (bem, ela é toda torta, não tem bem um centro, mas enfim), próximo à fronteira com a Bósnia e Herzegovina,  a cerca de 130 km da capital Zagreb.

3. Se eu for de avião para a Croácia, qual a melhor cidade para pousar?

Acredito que a melhor opção seja a capital Zagreb, que fica a apenas cerca de 130 km do parque, e provavelmente oferece uma gama maior de vôos que outras cidades conhecidas como Split ou Dubrovnik. De Zagreb, você pode ir de ônibus ou carro até Plitvice.

4. É possível se hospedar perto do parque? Compensa?

Sim, é possível. E, na minha opinião, compensa MUITO ficar nas pousadas próximas ao parque (“próximas” podendo ser a poucos km ou muitos km, pois lá tudo é longe).

Nós ficamos em uma pousadinha super gracinha, a apenas 3 km da entrada 3 do parque, chamada Rooms Lucija. Reservamos pelo Booking (parceiro do blog), e julgo ter sido um excelente negócio! Não era cara, oferecia café da manhã (gostoso), e muito limpa e confortável. Fiz um review mais completo da pousada – leia aqui.

Nota mental: eu que estou usando o termo ‘pousada’, ok? Foi o melhor termo em português que encontrei para descrever o tipo de acomodação da região. Na verdade, eles chamam de “room” – porque, de fato, o que se aluga é um quarto em uma casa. Só. Não é como uma pousada que tem área comum e todo uma infraestrutura. Você só tem acesso ao seu quarto mesmo, e no máximo uma área de café da manhã. Isso não significa ausência de conforto nem bom atendimento. Mas apenas que você vai lá praticamente só para dormir mesmo.

Foto: Alexandre Magno

5. Partindo de Zagreb, qual o melhor meio de transporte até o parque?

Carro. E não penso isso por causa do percurso Zagreb > Plitvice em si. Afinal, se os horários dos ônibus servirem para você, deve ser bem tranquilo ir assim (não deve demorar muito mais que indo de carro, acho). Porém, o mais provável é que você vá pernoitar por lá para poder aproveitar o parque ao máximo no dia seguinte. Logo, você precisará fazer deslocamentos extras (como ir de sua hospedagem até o parque, ir ao mercado e/ou restaurante), e é nestes momentos que a vida fica um pouco mais complicada sem um possante.

Por que? Pois na região do Plitvice, tudo é distante. Os mercados e restaurantes ficam ao longo da estrada principal, espalhados ao longo de vários quilômetros. As pousadas mais baratas ficam em estradinhas paralelas, que não têm luz, sinalização, ponto de ônibus, nada! Até mesmo na estrada principal, não me lembro de ter visto ônibus comuns, de circulação local, em nenhum momento.

Foto: Alexandre Magno

Nós, por exemplo, estávamos a apenas 3 km da Portaria 3 (ou seja, super perto do parque), mas teríamos nos lascado big time se não estivéssemos de carro, pois precisamos sair para comer à noite e comprar lanche de trilha no mercado. Havíamos cogitado ir de ônibus no início; mas acabamos optando pelo carro mesmo (até porque estava super em conta), e quer saber? Ainda bem!

Portanto, a não ser que você seja ryco(a) (😂) e vá se hospedar nos hoteis chiques próximos ao parque, ou algum que tenha serviço de traslado, levando-se em conta a logística como um todo, o carro é bem mais vantajoso.

 Dica: Alugue um carro aqui com a gente. Você não paga nada a mais por isso, e ajuda um pouquinho o blog 🙂 É só clicar no banner abaixo:

Se mesmo assim você preferir ir de ônibus, eu encontrei este site aqui enquanto pesquisava para a nossa viagem: http://www.buscroatia.com/zagreb-plitvice/. Nota: os ônibus saem do centro de Zagreb, e não do aeroporto.

6. Vale a pena ir 2 dias seguidos ao parque (pegar o 2-day ticket)?

Só completamente! Duvida? Veja o nosso roteiro de dois dias no parque, que eu acho que você vai se convencer: Dia 1 e Dia 2.

Foto: Alexandre Magno

Está curtindo? Então que tal curtir também no Facebook? 🙂

7. Quanto custa a entrada do parque?

Os preços variam ao longo do ano da seguinte forma*:

Day ticket

  • 01/01 a 31/03 e 01/11 a 31/12: 55 kunas
  • 01/04 a 30/06 e 01/09 a 31/10: 110 kunas
  • 01/07 a 31/08: 180 kunas

Two-day ticket

  • 01/01 a 31/03 e 01/11 a 31/12: 90 kunas
  • 01/04 a 30/06 e 01/09 a 31/10: 180 kunas
  • 01/07 a 31/08: 280 kunas

*Tabela de 2017, segundo o site oficial do parque, tomando como base o valor do adulto. Consulte tabela mais atual aqui.

Nota mental:
  • Moeda da Croácia: Kuna (HRK)
  • Câmbio: € 1  ≅ 7,40 kunas | R$ 1,00 ≅ 2,03  kunas (junho de 2017)

8. Tem estacionamento no parque? É pago?

Nas entradas 1 e 2, há estacionamento do próprio parque, que é pago por hora utilizada (7 kunas por hora). Paramos na entrada 1 no primeiro dia, e, como ficamos 9 horas, nos custou 63 kunas (aproximadamente R$ 30). Aceitam cartão ou dinheiro (e há um caixa eletrônico ali mesmo).

No segundo dia, paramos na entrada 3, que não tem um estacionamento propriamente dito. Os carros páram na estrada mesmo, e ninguém apareceu até hoje para nos cobrar nada 🙄

9. Vale a pena ir em maio (primavera)?

Super! As árvores estão inacreditavelmente verdes (como eu nunca havia visto um verde claro antes!). É realmente muito bonito! O tempo estava agradável/quentinho durante o dia (cerca de 18-20°C), e friozinho durante a noite (cerca de 8-10°C).

10. Vale a pena fazer um day tour partindo de outra cidade (exemplo: Zagreb)?

Na minha opinião, não. Um paraíso como este merece ser contemplado e vivenciado com calma. Para fazer um bate-e-volta, você teria que acordar bem cedo para pegar estrada e chegar a tempo de conseguir aproveitar o dia – um desgaste desnecessário, a meu ver.

Além disso, a região é tão bonita, com um clima bucólico tão delicioso, que vale muito a pena dormir em uma pousadinha por lá e respirar um ar fresco da montanha por ao menos uma noite.

Se possível, faça o roteiro de dois dias. Se você gosta de natureza, tenho certeza de que você não vai se arrepender!

CHEGANDO LÁ

11. Pode nadar?

A primeira pergunta que todo mundo faz! Não, não pode. 🙁

Pode só ficar olhando (e babando) | Foto: Alexandre Magno

12. O parque tem apenas uma entrada?

Não, há três entradas distintas, todas acessíveis por carro.

13. Qual a duração da visita?

Um dia inteiro – ou dois dias inteiros, se você puder/quiser. No primeiro dia, nós levamos cerca de 9 horas, e no segundo, cerca de 7 horas – e podemos dizer que conhecemos praticamente tudo.

Mirante próximo à entrada 1 | Foto: Alexandre Magno

14. Quantas rotas há no parque?

Muitas! Eles organizam os circuitos por letras, indicando a distância total percorrida em cada uma, bem como o tempo estimado. Nós optamos por fazer as trilhas C e K, que são as maiores do parque, em dois dias. Veja mais detalhes nos dois posts sobre os roteiros: Dia 1 e Dia 2.

Foto: Alexandre Magno

15. O que levar?

  • Roupas leves
  • Tênis confortáveis para caminhada.
  • Uma capa de chuva e/ou um anorak impermeável não fariam mal a ninguém, pois lá é completamente aberto e com pouquíssimas possibilidades de abrigo caso uma chuva resolva aparecer do nada
  • Lanche (há lanchonetes no parque, mas elas são concentradas em poucos pontos; eu prefiro me garantir – e não gastar tanto 😛 )
  • Água
  • Protetor solar

16. Se o tempo estiver ruim, há reembolso do ingresso?

Nope. Supera.

Foto: Alexandre Magno

Estas foram as principais dúvidas que tive ao planejar a viagem ao Plitvice. Espero ter ajudado!

Tem outras dúvidas? Deixa aqui nos comentários que eu vou tentar te responder! 🙂

Aproveita e salva este pin no seu Pinterest 😉

Outros posts da série sobre o Plitvice:

Roteiro de 2 dias no Parque Nacional dos Lagos Plitvice – Dia 1
 Roteiro de 2 dias no Parque Nacional dos Lagos Plitvice – Dia 2
Review da nossa pousada super gracinha, pertinho do parque (entrada 3) e com ótimo preço!

 Data da trip: Maio de 2017.

 Já segue o 7 Cantos do Mundo nas redes sociais?

instagram
 Comece a planejar sua viagem agora mesmo!

Reservando com os nossos parceiros, você não paga nada a mais por isso, e ajuda um pouquinho o blog 🙂

Temos parceiros para hospedagem, seguro viagem, aluguel de carro e agência de viagens, ecoturismo e bem estar, com roteiros prontos ou personalizados.

Veja AQUI.

 Achou este post bacana? Curta, comente, compartilhe!

               

Sobre a autora Ver todos os posts Site da autora

Laura Sette

Sou paulistana, bióloga, viciada em viagens, trilhas, livros e café, curiosa incansável e nerd assumida. Considero-me uma eterna aprendedora, e estou em constante busca da minha melhor versão. Acredito no poder transformador do autoconhecimento, e que, com amor e verdade, somos capazes sim de mudar o mundo! Moro atualmente na Dinamarca, como parte do grande plano de conhecer os 7 Cantos do Mundo.

Comente! :)

21 ComentáriosDeixe um comentário

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *