7 Cantos do Mundo

Aiuruoca: um reduto de paz e natureza no sul de Minas

Aiuruoca – esta charmosa cidadela mineira – é um verdadeiro reduto de paz e natureza. Putz, que lugar legal! Me surpreendi não só com a vibe do lugar, mas com a quantidade de atrativos que a região oferece.

Pico do Papagaio - Aiuruoca - MG

Como você pode também nunca ter ouvido falar nesta cidade de nome engraçado, reuni aqui algumas informações gerais “nice to know” para você se planejar em ir pra lá. Porque, acredite, você vai querer ir pra lá! E deveria.

 VOCÊ SABIA QUE…

Aiuruoca vem do Tupi: A – Juru – Oka que se traduz Ajuru = Papagaio + Oka = Casa de Papagaio?

Fonte: Prefeitura de Aiuruoca

Onde fica e como chega

Aiuruoca fica no sul de Minas Gerais, próxima aos estados de São Paulo e Rio de Janeiro, a 70 km da famosa São Thomé das Letras, no coração da Serra da Mantiqueira.

Distância das capitais mais próximas:

  • Belo Horizonte: aproximadamente 400 km
  • São Paulo: aproximadamente 350 km
  • Rio de Janeiro: aproximadamente 300 km

O acesso à cidade se dá por uma rodovia asfaltada, mas há várias estradas de terra para acessar os atrativos da região. O mais cômodo então é ir de carro – lembrando que a carona é sempre uma opção, hein? Mas se não for possível, veja as opções de ônibus aqui.

Ou então alugue seu carro aqui com a gente! 🙂
Você não paga nada a mais por isso, e ainda de quebra ajuda o blog 😀

O que tem de legal pra fazer por lá

Não é pouca coisa não, viu? Muitas trilhas, cachoeiras, piscinas naturais, boa comida… tudo para você cuidar do espírito e voltar totalmente renovado! Veja os principais atrativos.

Vale dos Garcias

Um lindo vale – mais ao norte do Matutu – que conta com várias opções de lazer, como o Poço Joaquim Bernardo, a Cachoeira dos Garcias e a Prainha. É um passeio leve – a única trilhazinha que se faz é para acessar a cachoeira, mas é bem curta – bom para se fazer com a família ou em um dia de preguiça (hehe) e que dura aproximadamente o dia todo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

No local da cachoeira, tem um restaurante de comida mineira típica, feita no fogão à lenha, a R$ 30 por pessoa. Bem gostoso e com uma vista lindíssima! Ah, importante: lá só aceita dinheiro.

Prainha

O acesso ao vale fica antes do centro de Aiuruoca (para quem vem da BR-267), saindo à direita, e tem de ser de carro, pois percorre-se alguns bons quilômetros em estrada de chão para chegar até lá – um 4×4 anda melhor, claro, mas chega-se com carro convencional tranquilamente. Onde exatamente é este acesso? Vou dar uma de mineiro: chega lá e pergunta! hahaha

Está curtindo? Que tal curtir também a nossa página no Facebook? 🙂

Vale do Matutu

O Vale do Matutu, localizado dentro da Área de Proteção Ambiental Mantiqueira, é uma região “indeixável de visitar” em Aiuruoca. A partir dali, você tem acesso por trilha à Cachoeira do Fundo e à Cachoeira dos Macacos. No próprio Matutu, a 300m do estacionamento, tem o Poço das Fadas, uma deliciosa piscina natural com água cristalina (e bem gelada!).

Cachoeira do Fundo

Poço das Fadas

Nota mental: O Vale do Matutu é toda a região da APA, mas as pessoas se referem ao local onde se para o carro e se tem acesso à comunidade como “o Matutu”. O estacionamento custa R$ 5,00 (referência: fevereiro de 2016).

Ali se encontra o charmoso Casarão do Matutu, datado do início do século XX, onde você pode provar quitutes caseiros, como café, bolos, crepes e outros (com opções vegetarianas).

Casarão do Matutu

Há também uma casa de artesanato, um tipo de mercearia de produtos da roça e um restaurante lá em cima do morro – que também vende produtos naturais, inclusive uma cerveja artesanal produzida ali mesmo, com diversos sabores; provei a de maracujá e é deliciosa!

Matutu visto do restaurante

Para chegar ao Matutu, você precisa percorrer, a partir do centro de Aiuruoca, cerca de 17-18 km em estrada de terra. Ela é longa, mas está ok de um modo geral. Mesmo assim, se tiver chovido muito nos dias anteriores, é melhor consultar as pessoas locais sobre as condições. Para acessar esta estradinha, você sobe a rua à direita da igreja no centro até o momento em que acaba a pavimentação; neste ponto, há várias placas, uma delas indicando o Vale do Matutu.

No caminho, você vai ver alguns atrativos, como o Pocinho (paga-se para entrar, e tem um bar/restaurante no local) e a Cachoeira Deus Me Livre (tem uma trilha de uma meia hora para chegar até ela). Dizem que são lugares legais, mas não posso opinar, pois não conheci – bom, não fiquei, mas cheguei a entrar no local do Pocinho, é uma piscina bonita mesmo.

Pico do Papagaio

O Pico do Papagaio é um dos atrativos mais cobiçados pelos trilheiros no Parque Estadual da Serra do Papagaio, administrado pelo Instituto Estadual de Florestas de Minas Gerais (IEF-MG) – portanto, uma Unidade de Conservação (UC).

Pico do Papagaio visto do Matutu | Foto: Alexandre Magno

E ele é mesmo sensacional! Muito indeixável de ir! É uma trilha mais pesadinha do que as outras e demanda um dia inteiro, mas vale totalmente a pena. Veja mais informações sobre como realizar esta trilha aqui.

Vista de cima do Pico do Papagaio | Foto: Alexandre Magno

Onde comer bem

 Dona Azeitona: No centro da cidade, na praça principal.  Pizzaria e restaurante, mas o forte é a pizza mesmo (é bem boa). Aceita cartão.

 Kiko & Kika Restô: No começo da estrada de chão para o Matutu. É um pouco mais carinho, mas muito saboroso! A especialidade da casa é a truta defumada, feita com uma técnica original da Suíça (os donos, o “Kiko” e a “Kika”, são europeus). Aceita só dinheiro.

 Candeeiro do Vale: Coladinho no Matutu. Servem PF por 20-25 pila – o de truta é sensacional! Aceita só dinheiro.

 Tia Iraci: Localizado dentro do Matutu (caminha-se uns 10 minutos a partir do estacionamento para chegar nele). Acho que é o restaurante mais falado na região, serve comida caseira no fogão à lenha, e dizem ser excelente. Infelizmente, não cheguei a tempo depois da trilha – já haviam encerrado. Mas fica a dica!

Onde se hospedar bem

Eu recomendo a Pousada Alquimia de olhos fechados. O lugar é muito especial, com uma energia incrível. É uma verdadeira experiência para a alma, vale a pena!

Leia aqui o review da Pousada Alquimia

Coloca Aiuruoca na tua lista de destinos, não te arrependerás! 😉

GRATIDÃO 

Aproveita e salva este pin no seu Pinterest 😉

 Data da trip:  Fevereiro de 2016.

 Comece a planejar sua viagem agora mesmo!

Reservando com os nossos parceiros, você não paga nada a mais por isso, e ajuda um pouquinho o blog 🙂

Temos parceiros para hospedagem, seguro viagem, aluguel de carro e agência de viagens, ecoturismo e bem estar, com roteiros prontos ou personalizados.

Veja AQUI.

Achou este post bacana? Curta, comente, compartilhe!

Sobre a autora Ver todos os posts Site da autora

Laura Sette

Sou paulistana, bióloga, viciada em viagens, trilhas, livros e café, curiosa incansável e nerd assumida. Considero-me uma eterna aprendedora, e estou em constante busca da minha melhor versão. Acredito no poder transformador do autoconhecimento, e que, com amor e verdade, somos capazes sim de mudar o mundo! Moro atualmente na Dinamarca, como parte do grande plano de conhecer os 7 Cantos do Mundo.

Comente! :)

17 ComentáriosDeixe um comentário

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *