7 Cantos do Mundo

Saia já desse armário!

O seu, o meu, o nosso armário

Você certamente tem um armário. Um armário que pode ter cores, formas e tamanhos diferentes por fora, mas que não difere em nada, em sua essência, do meu ou do de qualquer outra pessoa. Pois ele esconde uma infinidade de coisas, igualmente não visíveis, por conta da escuridão em seu interior. No fim das contas, o que realmente importa é onde nós vivemos em relação a ele: dentro ou fora?

Eu, hein, que papo doido é esse?

Para um pouquinho para pensar no que está aí dentro de você, guardadinho, embrulhadinho. Todos temos alguma paixão, alguma coisa que nos move, que nos faz sentir vivos e completos. Alguma coisa muito particular de cada um de nós, que dá os nossos traços de individualidade, tão importantes para nossa definição e autoafirmação. Alguma coisa que muitas vezes, ou por falta de autoconhecimento, ou por falta de coragem, simplesmente não deixamos fluir. E eu me enquadrava neste caso – até agora. Porque aproveito a deixa para comunicar que eu resolvi…

…sair do meu armário!

É isso aí, mundo. Estou assumindo: sou uma viajante compulsiva. Descobri que existe até um termo pra isso: ecdemomania. Então tá, sou ecdemomaníaca. Sou mesmo! #prontofalei

 Ecdemo-o-quê? Permita-me explicar: Ecdemomania: s.f. Desejo, considerado fora do normal, de estar longe de casa; vontade patológica de perambular longe de casa; obsessão por viagens; fugir de casa.

Viajar é tipo… tudo

Não tem nada que me motive tanto quanto viajar. Isso não quer dizer, nem de longe, que eu não seja eclética nos meus gostos. Gosto de muitas (muitas!) coisas. Mesmo. Por exemplo: Amo dançar – mas eu não morreria por isso. Amo praticar esportes – mas não, eu não morreria por isso. Amo a música – mas eu tampouco morreria por isso. Amo comer – mas eu definitivamente não morreria por isso.

Já viajar… é diferente. Não é apenas um hobby, não é uma distração momentânea de um período de stress da vida cotidiana, do trabalho enfadonho. Viajar é um estilo de vida. E não me refiro a viagens com vôos, carimbos no passaporte e fotos de cartão postal apenas; é como eu costumo dizer: “estar por aí”. Esse lifestyle consiste em estar sempre por aí em busca de um lugar desconhecido, um canto novo para desbravar. De preferência em meio à natureza.

Viajar não é se perder, é se encontrar: com a energia maior do universo e, principalmente, consigo mesmo. É sentir-se completo, pleno, livre.

Então, se precisar morrer por isso, eu morro. Mas escolho viver por isso.

Fim de tarde em Ilhabela

Pôr do sol em Ilhabela no dia que minha vida virou de cabeça para baixo

Inspire-se

Eu adoro assistir aos TED Talks. Não é à toa que eles tem o subtítulo “Ideas worth spreading” (Ideias que valem a pena compartilhar). O que particularmente me inspira aqui é o da Ash Beckham: We’re all hiding something. Let’s find the courage to open up (Todos estamos escondendo algo. Vamos encontrar a coragem para nos abrir).

Ela mostra três princípios (simples, porém absolutamente fundamentais):

  1. Seja autêntico: seja verdadeiro, seja sempre você mesmo, sem armaduras
  2. Seja direto: diga o que tem que dizer e faça o que tem que fazer, sem enrolação – arranque o band-aid de uma vez
  3. Nunca se desculpe por falar a sua verdade. Desculpe-se por coisas que você fez, mas nunca se desculpe por quem você é.

Algumas pessoas podem ficar desapontadas, mas isso é com elas, não com você. São as expectativas delas, não as suas (…) Um armário não é lugar para uma pessoa – verdadeiramente – viver 

Não precisa ser hoje, não precisa ser às pressas. Tudo tem seu tempo e uma razão de ser. Mas pare, pense, sinta e, no momento certo, saia do seu armário. Enfrente este monstro. Seja você, seja livre.

Cachoeira do Tabuleiro - Minas Gerais

Achou este post interessante? Curta, comente, compartilhe!

Sobre a autora Ver todos os posts Site da autora

Laura Sette

Bióloga paulistana que não vai sossegar enquanto não conhecer os sete cantos do mundo. Apaixonada por natureza e culturas, é perdendo-se por aí que ela se encontra. É viciada em livros e café, positividade é sua filosofia de vida e não perde uma oportunidade de rir e fazer rir com uma (nem tão) boa piada.

Comente! :)

8 ComentáriosDeixe um comentário

  • Sou grato a você !!! Espero que saiba disso. Aquele empurrãozinho que me faltava veio de ti!! Obrigado por me fazer descobrir um mundo inteiro de cores, sabores, odores e pessoas. Quando saímos do armário, da nossa zona de conforto e vivemos em meio a vulnerabilidade coisas incríveis acontecem !

    Obrigado e sucesso

    • É isso mesmo, Ro. Ficar na zona de conforto apenas sobrevivendo, pseudo-vivendo uma coisa pré-formatada, não tá com nada. Não agrega valor à alma.
      Estou muito feliz por ti! Eu não fiz nada, vc que libertou esse espírito desbravador que se escondia aí dentro! 😉
      Parabéns pela saída do armário, e bora explorar esse mundão véio!
      Beijo!

  • Sinto uma sementinha brotando em mim. É como se eu tivesse sido embaralhada e aos poucos venho montando esse quebra-cabeças. Sem dúvidas o que leio e vejo aqui estão fazendo a diferença. Obrigada!

  • Laura uma dúvida, como você faz para conciliar sua rotina/vida semanal de trabalho ou estudos com as viagens? Minha maior dificuldade em pôr em prática este espírito livre é encontrar tempo ( não veja isto como desculpa) para viajar. É possível conhecer um lugar bacana somente em um fds enquanto a tão sonhada férias de um mês não chega?

    Abraço!!

    • É super possível, e digo mais: é necessário!
      Eu acho que é tudo uma questão de prioridades, entende? A gente costuma dizer que não tem tempo/dinheiro para certas coisas, mas se analisarmos nossa rotina, nosso mês, vemos que para outras coisas, digamos, “menos importantes”, encontramos tempo. Tem gente que vê novela, tem gente que vai ao shopping fazer compras toda semana, tem gente que não abre mão do happy hour do trabalho, da preguiça no sofá no domingo, e por aí vai…
      Como o que eu mais amo na vida é viajar, eu foco todas as minhas energias nisso. Isto é, não gasto tempo nem dinheiro com o que considero supérfluo: ao invés de ver tv, leio um livro (eles inspiram e abrem a cabeça de uma maneira incrível!); não compro roupas/coisas com frequência (nem lembro quando fiz isso a última vez!), não sou muito de sair à noite (para a sorte da minha conta bancária! rs) etc… Claro que uma boa dose de proatividade cai bem tbm, pq se vc gosta de viajar, vc tem que definir os destinos, ir atrás das informações, enfim, fazer acontecer. E uma coisa que fez toda a diferença pra mim foi: independência. Se vc for depender de amigo/namorado/quem quer que seja para te acompanhar nas suas viagens, vc provavelmente vai viajar bem menos do que gostaria. Digo isso por experiência própria. Então, meu conselho é: defina seu roteiro e programe-se; se na ocasião alguém puder te acompanhar, ponto positivo; se não, vá sozinha pq viajar sozinha é simplesmente l-i-b-e-r-t-a-d-o-r! Ainda mais para nós mulheres.
      Enfim, eu poderia passar o dia falando sobre isso, mas acho que dei uma boa pincelada no assunto. Qualquer coisa, me escreva de novo. Obrigada pela leitura!!! Gosto muito quando as pessoas lêem e comentam! 🙂 🙂 🙂
      Super beijo!

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *